Trabalho do Assistente Social em equipes multiprofissionais de cuidados paliativos.

Mabel Gonçalves Silva, Lúcia Conde Oliveira

Resumo


Com a apropriação de tecnologias verificada no pós-Segunda Guerra Mundial e a institucionalização do tratamento de doenças em hospitais, a medicina passou a valorizar mais a prática curativa, mas sem levar em conta os aspectos sociais, emocionais, espirituais, entre outros. Consequentemente, o atendimento tornou-se excessivamente mecânico, sendo necessário pensar estratégias para humanizá-lo. Nessa ótica, os cuidados paliativos surgem para suprir uma lacuna na busca pela qualidade de vida das pessoas que não têm mais possibilidade terapêutica para cura. Esse artigo tem por objetivo analisar o trabalho de assistentes sociais em equipes multiprofissionais de cuidados paliativos. Pesquisa de cunho qualitativo, na qual se realizaram entrevistas semiestruturadas com sete profissionais que atuam em equipes de cuidados paliativos. Utilizou-se a análise de conteúdo temático para análise dos dados. A pesquisa foi aprovada pelo comitê de ética em Pesquisa da Universidade Estadual do Ceará. 

 


Palavras-chave


Saúde, Cuidados Paliativos, Trabalho do Assistente Social.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

 

Qualis: B2 (Serviço Social), B5 (Direito), B2 (Interdisciplinar) e B4 (Enfermagem)