Prisão e Violência: uma análise da história do internamento em Michel Foucault e sua possível ligação com o surgimento do Sistema Capitalista

Renan Costa Valle SCARANO

Resumo


Este trabalho tem por finalidade entender o funcionamento da prisão na relação: violência e sociedade. Num primeiro momento busca-se compreender por que a sociedade ocidental trata do crime e da violência através do internamento. Para isso, é analisada a história do internamento na sociedade ocidental juntamente com o surgimento do capitalismo. Contudo percebe-se que a prisão nem sempre teve a mesma função em determinados sistemas políticos. Nos Estados de bem estar social a prisão era o último recurso por parte do sistema. Já no sistema neoliberal o investimento na prisão e demais aparelhos punitivos são prioridades para lidar com a pobreza e com aqueles que são vistos como criminosos. Foucault através de estudos sobre a história do internamento e da prisão apresenta outra visão sobre a política de internamento. Para ele trata-se de uma forma que o poder encontrou para lidar com os problemas sociais. Essa questão é analisada em duas obras de Michel Foucault: “História da Loucura” (1961) e “Vigiar e Punir” (1975). Nelas, o autor francês desenvolve a teoria de que quando surge a prisão no século XIX, ela surge em função da produção do sistema burguês capitalista. Com a desmistificação da prisão por parte de Foucault, questiona-se se é possível pensar uma sociedade sem prisões. Por isso para buscar outras formas de lidar com a violência parece que é preciso pensar outras formas de organização social.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.