A dimensão político-pedagógica da “comunicação sem equívocos” frente aos desafios da escola para todos: novos lugares interpretativos para a prática docente

Leda Verdiani Tfouni, Diana Junkes Martha Toneto, Alessandra Adorni

Resumo


O objetivo do presente artigo é tecer algumas considerações sobre a produção textual de um aluno do Ciclo II do Ensino Fundamental. Pretende-se mostrar como o texto do aluno pode ser lido por um viés que deixa de observar características textuais importantes, desconsiderando o seu nível de letramento e, portanto, desconsiderando a inserção dessa escrita em um contexto sócio-histórico. Tal viés, ao mesmo tempo em que é definido pela ideologia, é determinado por um equívoco interpretativo embasado pelo discurso pedagógico escolar que privilegia a língua culta, o que impede o leitor de identificar, no texto em questão, procedimentos linguístico-textuais interessantes e ricos, indicativos do letramento do aluno e de seu potencial de autoria. Essa leitura denega, em grande parte, os esforços que têm sido feitos para reverter a exclusão dos alunos da escola pública, enfraquecendo o discurso idealista que defende a existência de uma escola para todos.

Palavras-chave


Letramento; escrita no Ensino Fundamental; Análise do Discurso

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

Qualis: A1 (Letras)

ISSN (impresso):1415-1928

ISSN (digital): 1983-2400

Indexadores: Modern Language Association of America, Cambridge Scientific Abstracts, Latindex, EBSCO Publishing e Linguistics Abstracts.