Da clivagem do corpo com o dizer. Voz e identidade em Maria Bethânia

Pedro de Souza

Resumo


O presente artigo propõe abordar um evento de identificação entre o sujeito que canta e sua própria voz. Trata-se de um trabalho de análise enunciativa e discursiva aplicado à cena do documentário Música é Perfume, dirigido por Georges Gachot. No trecho selecionado desta cinebiografia a cantora Maria Bethânia é tomada pelas câmeras ouvindo e falando sobre como percebe a própria voz, enquanto canta a canção Melodia Sentimental, de Heitor Villa Lobos. O procedimento analítico busca confrontar, ao longo da mesma cena, o discurso de outros e o discurso do próprio sujeito sobre a voz que emite ao cantar.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

Qualis: A1 (Letras)

ISSN (impresso):1415-1928

ISSN (digital): 1983-2400

Indexadores: Modern Language Association of America, Cambridge Scientific Abstracts, Latindex, EBSCO Publishing e Linguistics Abstracts.