Fronteiras da interculturalidade: zona rural de Pelotas-RS e suas etnias

Maria de Fátima Bento Ribeiro, Cristiane Bartz de Ávila

Resumo


Este trabalho pretendedescrever o espaço que se constituiu na zona rural de Pelotas, situada no Rio Grande do Sul, e que foi permeado por culturas de diversas etnias. Durante o século XIX, destacamos a presença do português, do indígena e do negro, e neste contexto existiu uma grande animosidade em virtude de interesses antagônicos. Aproximando-se aos pressupostos da abolição, as autoridades adotaram como estratégia para ocupar o territórioa fundação de colônias, restringindo os espaços dos negros. Assim, foram fundadas colônias de imigrantes franceses, alemães, pomeranos e italianos. Cerqueira e Silva (2011), autores que nos ajudam na reflexão, escrevemque a zona rural em questão foi constituída por um mosaico cultural. Diante do exposto, acreditamos que se faz necessária a discussão acerca da convivência das etnias citadas, bem como daconfiguração das fronteiras estabelecidas a partir dessas experiências.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

Qualis: A1 (Letras)

ISSN (impresso):1415-1928

ISSN (digital): 1983-2400

Indexadores: Modern Language Association of America, Cambridge Scientific Abstracts, Latindex, EBSCO Publishing e Linguistics Abstracts.