É possível pensar em uma prosódia discursiva?

Luciana Iost Vinhas

Resumo


O presente texto traz uma reflexão sobre a relação entre prosódia e discurso no âmbito da Análise de Discurso (AD) desenvolvida pelo filósofo francês Michel Pêcheux. Consideramos o estatuto da língua na AD como base para a reflexão, a qual não é entendida como fechada e homogênea, mas, sim, aberta à equivocidade. Para dar base à reflexão, são analisados dois enunciados produzidos por duas apenadas da Penitenciária Feminina Madre Pelletier, sendo observada a forma material da ideologia através de sua manifestação prosódica. Consideramos que, no som da linguagem, é possível identificar a materialização do duplo atravessamento a que o sujeito está submetido: o assujeitamento ideológico e o recalque inconsciente.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

Qualis: A1 (Letras)

ISSN (impresso):1415-1928

ISSN (digital): 1983-2400

Indexadores: Modern Language Association of America, Cambridge Scientific Abstracts, Latindex, EBSCO Publishing e Linguistics Abstracts.