BYE, BYE, FREE RIDER. O PAPEL DO ASSOCIATIVISMO NA SOLVÊNCIA DO DILEMA DA AÇÃO COLETIVA

Mateus Romanini, Reginaldo Teixeira Perez, Karen Thaisa Schmidt

Resumo


Este artigo tem como objetos a teoria que preside a lógica da ação coletiva e as associações. Detalha-se: Ações sociais são operações coletivas complexas - e não raro desafiam princípios democráticos. E teorizações elaboradas nas fronteiras da Sociologia e da Economia demonstram que os custos da participação individual nas ações coletivas - afora o emprego de incentivos seletivos, coerção ou de idiossincrasias individuais - são sempre elevados. Partindo-se desses pressupostos, empregando-se uma pesquisa bibliográfica básica e adotando a análise conceitual, além de apresentar sucintamente a teoria que orienta aquele argumento, pretende-se desfilar o seguinte postulado: as associações, independentemente de seu caráter, contribuem ao arrefecimento dos limites apresentados pela racionalidade individual egoística e autointeressada - e findam por mitigar o dilema da ação coletiva.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

http://revistas.ucpel.tche.br/index.php/filosofia