SOBRE UMA SOCIEDADE JUSTA NA VISÃO DE FORST E A AUTOSSUFICIÊNCIA NA PÓLIS ARISTOTÉLICA

Marina Leal Barão

Resumo


Este artigo trata principalmente sobre o capítulo 5.1 da obra Contextos de Justiça: filosofia política para além do liberalismo e comunitarismo de Rainer Forst e busca em um segundo momento fazer uma breve contraposição com o que Aristóteles compreende sobre a justiça e a autossuficiência na pólis. O capítulo 5 trata exatamente sobre os contextos de justiça e o foco do presente trabalho trata sobre a justiça e o bem. Forst deixa claro que a ideia é formular uma posição mediadora entre o comunitarismo e o liberalismo. Para isso, ele analisa os contextos da justiça sob uma perspectiva teórico-moral. Os princípios de justiça devem ser justificados de modo imparcial e universal e ainda suprir as necessidades, os direitos e os valores daqueles indivíduos que sofrem as implicações de tais princípios.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

http://revistas.ucpel.tche.br/index.php/filosofia